INFORMAÇÕES

Método de Trabalho (Método Minessota)

 

Minnesota é um estado americano localizado ao norte dos Estados Unidos. Foi de lá que um modelo específico se desenvolveu, modelo esse que predomina nos Estados Unidos até hoje e que rapidamente se espalhou por outros países.

 

Após alguns anos da fundação da irmandade de Alcoólicos Anônimos (A.A.), viu-se a necessidade de um local para internar os alcoólicos que estavam sofrendo e não conseguiam  manter-se em abstinência.

 

Enquanto isso, no manicômio estadual de Minnesota chamado Wilmar State Hospital, os médicos psiquiatras, juntamente com o psicólogo Dr. Daniel Anderson tentaram desenvolver um trabalho juntos aos alcoólicos que ocupavam uma grande parte dos 1.600 leitos daquele hospital.

 

Eles convidaram o grupo de AA que colaborava com a Clínica Hazelden a lhes ajudar no manicômio e logo perceberam que, através das reuniões de uma equipe multidisciplinar, incluindo os membros de AA que atuavam como terapeutas leigos, os resultados apresentaram uma melhora significativa. Assim surge a figura do “Conselheiro em Dependência Química”, e foi desenvolvido um dos primeiros grupos de profissionais multidisciplinares, incluindo dependentes em recuperação, baseados nos princípios de AA.

 

Assim nasceu o Modelo Minnesota, precursor de todos os modelos para tratamento de dependência química, que tem sua base estruturada nos 12 Passos de AA / NA e que faz uso de uma abordagem multidisciplinar.

 

O Modelo Minnesota baseia-se nas seguintes concepções:

 

-É uma doença multifacetada e multidimensional;

-O motivo inicial que leva a dependência não está necessariamente relacionado com o resultado;

-Focaliza a causa que desencadeia o processo e não a pré-disposição para a dependência.

 

Pontos fortes:

 

-Este modelo possui uma literatura vasta e uma estrutura de apoio no mundo inteiro a qualquer hora do dia e da noite;

-Segue uma metodologia enumerada que indicam um processo contínuo e não um evento singular.  

 

Princípios:

 

- A meta é tratar, não curar. O paciente é motivado a aprender a viver com o seu alcoolismo e /ou outras dependências, que é uma condição crônica, não em procurar as causas e esperar por uma cura;

- Baseia seu programa de tratamento nos 12 Passos de AA / NA especialmente nos primeiros cinco;

- Recomenda-se abstinência total de substâncias psicoativas;

- Cria um ambiente onde a as relações e ambiente dentro da clínica é totalmente aberta e honesta, o que propicia uma troca de experiências em todos os níveis;

- Os profissionais de tratamento e os pacientes colaboram na definição do caminho da recuperação;

- O foco do tratamento é a mudança do estilo de vida;

- O tratamento é de longo prazo;

- O tratamento é multidisciplinar;

- A reabilitação sugere o tratamento da família do paciente e indica a frequência de grupos de ajuda-mútua, como A.A. e N.A.

 

O Modelo de Minnesota visa um profundo autoconhecimento de si mesmo, uma tomada de consciência de seu estado emocional e psicológico derivado aos consumos e de procura ativa de modos alternativos e construtivos de funcionamento psicológico e emocional.  

 

Este modelo é essencialmente psicoterapêutico e de procura de "insight" com o objetivo de induzir um amadurecimento da personalidade.  É o Modelo que mais é utilizado nos países de língua inglesa e que melhores taxas de sucesso têm apresentado.

 

Método de Trabalho  (Os 12 Passos)

 

O programa de Doze Passos (twelve-step program) é um programa criado nos Estados Unidos em 1935 por Bill W. e Dr. Bob S., inicialmente para o tratamento do alcoolismo e mais tarde estendido para praticamente todos os tipos de dependência química.

 

Os "Doze Passos" são o núcleo do programa de recuperação individual de AA. Năo são teorias abstractas: baseiam-se na experiência dos primeiros membros de AA que lá chegaram por tentativas, umas bem sucedidas e outras falhadas. Descrevem a atitude e as actividades que esses primeiros membros acharam importantes para alcançarem a sobriedade. 

 

Aceitar os "Doze Passos" não é, de forma nenhuma obrigatório.

 

No entanto, a experiência sugere que os membros que se esforçam honestamente por seguir estes Passos e por aplicá-los na sua vida diária, vão muito mais longe em AA do que aqueles que apenas os encaram com ligeireza. Tem-se dito que é impossível seguir à letra todos os Passos dia a dia.

 

Embora isto possa ser verdade, na medida em que os Doze Passos reflectem uma aproximação à  vida que é totalmente nova para a maioria dos alcoólicos, muitos membros de AA sentem que os Passos săo uma necessidade prática para manterem a sua sobriedade.

 

Os Doze Passos (para os Alcoólicos Anônimos) são:

  • Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.

  • Viemos a acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade.

  • Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos.

  • Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.

  • Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas.

  • Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

  • Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições.

  • Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados.

  • Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-lo significasse prejudicá-las ou a outrem.

  • Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitíamos prontamente.

  • Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós, e forças para realizar essa vontade.

  • Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a esses Passos, procuramos transmitir essa mensagem aos alcoólicos e praticar esses princípios em todas as nossas atividades.

 

 

Remoção  24h 

 

Contamos com uma equipe profissional, capacitada e eficiente, cujos métodos são totalmente seguros para remoção do paciente.

 

Dispomos de ambulâncias (empresas parceiras), e carros descaracterizados nas remoções voluntárias, involuntárias e compulsórias. Para aqueles que necessitarem de outros meios para a remoção do paciente, contataremos empresas do ramo. 

 

Tipos de Internação

 

 - Voluntária

 

    Aquela que se dá com o consentimento do usuário.

 

 

-  Involuntária

 

   Aquela que se dá sem o consentimento do usuário e a pedido de terceiro.

 

 

-  Compulsória

 

   Aquela determinada pela justiça.

 

 

 

  *Lei 13.840/19

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now